A Felicidade de uma Mente Livre

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Por que Amar a Criança?


A Criança / Unihipili é uma das formas do EGO se apresentar. Tudo o que vivenciamos está no pensamento antes, tudo! Raiva, alegria, medo, tristeza, ... É no Unihipili que ficam impressos todos os padrões, programas e crenças – ou seja, nossas memórias – que vamos acumulando ao longo do tempo. Quando um acontecimento se dá, seja interno (um sonho, uma lembrança de algo ou alguém, por ex.) ou externo (encontrar alguém, sentir um determinado cheiro, ouvir uma música específica, levar uma fechada no trânsito, alguém gritar conosco, etc.), os padrões, programas e crenças assumem automaticamente o controle das nossas ações e reações. A memória é liberada, ocorre uma tempestade cerebral, forma-se uma rede neural para aquele tipo de padrão – são os nossos ‘vícios’.
O Unihipili é análogo a um computador. Funciona à base de memórias. Seja através dos instintos ou dos hábitos. Hábitos são memórias acumuladas – tudo aquilo que vamos ‘aprendendo’ ao longo de nossas vidas se transforma em hábitos. Ou seja, são os programas constituídos por nós, consciente ou inconscientemente. Nesse caso, quando somos levados a fazer algo para sermos amados, por exemplo: “Se você não fizer tal coisa eu não te amo mais!”. Ou quando pais ou pessoas de nossa referência incorporam medos em nós: “Ou você faz tal coisa agora ou vou te dar uma surra!”.
A grande maioria de nós não vai sendo educado na medida em que cresce, vai sendo ‘adulterado’. Aprendemos tantas coisas inúteis! E tantas e tantas outras que não deveriam ter sido ensinadas. Com o passar dos anos, para cada situação semelhante temos uma caixinha de ‘respostas’ prontas. E que respostas são essas? – Os padrões e programas, as memórias. Entramos, assim, no tão famoso ‘piloto automático’.
“Cada vez que ... (acontece tal coisa, fulano fala comigo de tal forma, etc.) eu ... (ajo assim... falo assim..., etc.). Ficamos ‘rendidos’ na situação, verdadeiros ‘reféns’! Repetindo, repetindo e repetindo as mesmas respostas, numa co-dependência doentia com pessoas e situações.
O fato que temos que encarar agora é: “EU NÃO POSSO MUDAR NADA FORA DE MIM! Se não posso mudar nada fora de mim, só posso mudar alguma coisa em meu interior. Só posso mudar a MINHA percepção das coisas.” Mas para mudar dentro de mim, tenho que me aceitar como sou primeiro, jamais conseguiremos mudar algo que rejeitamos. Jung disse bem: ‘Aquilo a que você resiste, persiste. Aquilo que você aceita, se transforma’. Essa é uma das razões de porque a culpa não funciona. Na culpa não há aceitação, não há gratidão pelo aprendizado, não há amor. Há apenas julgamento.
Quando aceitamos, paramos de ‘brigar com a situação’ e a situação pode, então, se transformar. Quando agradecemos, estamos reconhecendo o processo de aprendizado, um processo que acontece gra-da-ti-va-men-te. Quando amamos, estamos aumentando a confiança da criança interior, entendendo que cada um faz aquilo que dá conta, com a consciência que tem no momento. É exatamente como educar uma criança. Temos que dar consciência, não punição, castigo ou repreensão sem sentido. A criança precisa compreender o que está acontecendo, aonde pode melhorar da próxima vez e, sobretudo, ela precisa ter certeza de que, apesar de ter ‘errado’, ainda assim ela é amada. O comportamento é que tem que ser criticado (no verdadeiro sentido da palavra, de forma proativa) e não a criança! A criança precisa se sentir amada “apesar de...” É a única maneira da coisa funcionar.
Por isso, temos que aprender a amar essa criança interior (Unihipili), reconhecer que há algo “por trás” de determinadas atitudes e limpar tudo. Ininterruptamente. Até se ver como parte integrante da Luz. Mostrar a essa criança as novas opções, as novas escolhas. Todas mais conscientes, mais claras, que fazem muito mais sentido. E isso tudo tem que ser feito com calma, paciência, tranquilidade, equilíbrio e, mais uma vez, muito amor. Só assim conseguimos tomar novas decisões, adotar novas posturas, mudar nosso destino. Isso é ser 100% Responsável! Não importa o que aconteceu com você, a grande maioria das pessoas teve traumas e dificuldades na vida, de todo tipo. O que importa é que você pode mudar tudo! Agora, nesse exato momento.
Então, aceite tudo em você! Agradeça tudo em você! Ame tudo em você! Só assim, conseguirá se transformar, se libertar. Há uma criança divina em você! Querendo apenas a chance de renascer.
Aproveite e aceite tudo em sua vida! Agradeça tudo em sua vida! Ame tudo em sua vida!
O tempo vai lhe mostrar o que isso pode fazer por você.

Amor e Luz,
Regina Tavares
Ho'oponopono é demais!








Querida criança interior, Unihipili eu sinto muito!
Por favor, me perdoe!
Eu te amo e agradeço por tudo! 






7 comentários:

  1. Parar de "brigar com a situação" seria parar de correr atrás da bola, silenciar, para que a bola, no seu tempo, venha até a mim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ideia é não ter qualquer tipo de expectativas de que "a bola venha até mim"... Mas ACEITAR totalmente o que está acontecendo no momento. Aceitar, entregar, confiar. Só isso! O Criador é O Único capaz de saber o que é melhor para cada um de nós. :D <3

      Excluir
  2. Simples assim. Nós é que complicamos. Excelente artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim... que bom que agora estamos aprendendo a "descomplicar" não é mesmo? Grata pelo feedback Moira! _/\_

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Se milagres acontecem, hj tive uma prova ! Obrigado por permitir a oportunidade de ler este texto. Foi muito bom , minha alma está em festa ! Flutuando ....

    ResponderExcluir